sábado, 24 de fevereiro de 2018

Tarte Tatin

A tarte Tatin é uma tarte de maçã tipicamente francesa, inventada pelas irmãs Stephanie e Caroline Tatin, herdeiras de um hotel e restaurante.

Reza a lenda que Stephanie era muito boa cozinheira, mas distraída e a sua especialidade era uma tarte de maçã que servia morna.

Um dia na conversa com os clientes, esqueceu-se de que a sobremesa não estava feita, correu para a cozinha e meteu a famosa tarte no forno, só que se esqueceu da massa e quando deu conta as maçãs já estavam meio caramelizadas, mas ela não esteve com meias medidas, meteu-lhe a massa em cima e levou novamente ao forno, porque ao desenformar, ficaria com a maçã para cima.

O resultado foi tão surpreendente que vinham pessoas de toda a França para conhecer a famosa tarte e nos dias de hoje é ainda servida em restaurantes de nome por toda a França e até pelo mundo.

A minha ficou boa, mas não excelente, o filho nem provou e o marido reclamou um pouco da gordura e do doce... mas fiz com massa quebrada de compra e o ideal é massa areada caseira de preferência.

As melhores maçãs para esta tarte são a reineta ou a golden, qualquer maçã que seja ácida e firme. O objectivo é que o sabor das maçãs contraste com o do caramelo e que elas não se desmanchem durante o cozimento, eu usei golden.


sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

Risotto de alheira

Ora aqui está uma mistura improvável, risotto, um prato tipicamente italiano, com um enchido tipicamente português.

Esta sugestão apareceu-me nas publicações das minhas páginas amigas e quando vi achei o máximo, porque alheira é o meu enchido favorito e achei que combina bem com um arroz cremoso como o risotto.


1 chávena de arroz risotto bom sucesso
2 alheiras
1/2 cebola
2 dentes de alho
6 cogumelos brancos
1/2 chávena de vinho branco
2 e 1/2 chávenas de água
2 colher de sopa de azeite
Queijo ralado a gosto


Primeiro picar a cebola bem fininha e o alho e levar ao lume a alourar no azeite.

Juntar o arroz e mexer sempre até absorver a gordura toda e começar a ficar transparente.

Adicionar o vinho com cuidado porque borbulha muito e mexer sempre até secar completamente.

Em seguida adicionar um caldo de carne, feito com a água de cozer a alheira e um cubo Knorr, a ferver aos poucos e sempre a mexer.
Eu passei esta parte, não uso Knorr e não me pareceu bem usar a água de cozer a alheira, porque estas são caseiras e largam muita gordura, pelo que usei mesmo só água a ferver.

Juntar aqui os cogumelos partidos aos cubos, ou fatiados.

Vigiar e mexer de vez em quando, para não pegar ao fundo do tacho.

Quase no fim da cozedura e demora mais de 15 minutos, juntar a alheira, previamente cozida e sem pele, ligeiramente esmagada, porque ela vai acabar por se desfazer.

Por ultimo juntar o queijo ralado e envolver bem, eu juntei um pouco de parmesão e mozzarella ralado, só no prato.

No arroz meti só uma alheira, a outra grelhei na frigideira anti-aderente.


Parceiro nesta receita Arroz Bom Sucesso e o meu amigo produtor de alheiras, caseirinhas the best off :)


Também me encontram aqui»» Cininha 

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

Sopa de beterraba

Não não é sopa de beterraba o tubérculo...

É mesmo sopa de folhas de beterraba, aquelas que ninguém usa e deita fora, dá uma sopinha muito boa, porque as folhas para além de muito macias têm um sabor bom.

Não sei se se vende nas lojas estas folhas, mas eu tenho amigos com hortas que plantam beterrabas e costumam-me dar e como sabem que eu gosto desta sopa, dão-me a beterraba já com as folhas e até folhas extra :)

A base da sopa faço como as de agrião, espinafres... sopa de base laranjinha.


Folhas de beterraba
Batata
Cenoura
Abobora
Cebola
Alho
Azeite
sal

O modo de fazer é igual a todas as sopas, não há receita.
A cor tão carregada da sopa, provém dos talos das folhas que têm uma cor entre o vermelho e o cor de vinho :O uma cor que não sei bem definir e que no dia seguinte ainda está mais carregada.

Sigam a minha página de facebook aqui 

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

Os pilares da terra de Ken Follet

Hoje no clube de leitura como lhe chamou uma amiga e seguidora aqui do blog temos um autor top.

Top de vendas, top de escrita....Britânico, é um dos autores mais bem sucedidos da actualidade, de mais de 30 livros escritos, foram já vendidos mais de 150 milhões de exemplares, já ganhou vários prémios e vende bem o género Thriller e romances de acção, romances históricos.

Este livro que sugiro hoje Os pilares da terra,«««ver aqui é uma epopeia medieval, uma obra monumental, um romance grandioso, contado em dois volumes.

Wook.pt - Os Pilares da Terra - Volume I
fotografia do site wook ver mais aqui««««

Deste escritor tenho para além destes, mais alguns livros, eu diria mesmo que quando se lê o primeiro, é difícil não comprar todos, penso que a palavra que melhor descreve a escrita deste autor como diz o meu marido é avassaladora, quando se começa a ler é muito difícil parar, completamente viciante.

Deixo a sinopse do wook
Do mesmo autor do thriller "A Ameaça", chega-nos o primeiro volume de um arrebatador romance histórico que se revelou ser uma obra-prima aclamada pela comunidade de leitores de vários países que num verdadeiro fenómeno de passa-palavra a catapultaram para a ribalta. Originalmente publicado em 1989, veio para o nosso país em 1995, publicado por outra editora portuguesa, recuperando-o agora a Presença para dar continuidade às obras de Ken Follett. O seu estilo inconfundível de mestre do suspense denota-se no desenrolar desta história épica, tecida por intrigas, aventura e luta política. A trama centra-se no século XII, em Inglaterra, onde um pedreiro persegue o sonho de edificar uma catedral gótica, digna de tocar os céus. Em redor desta ambição soberba, o leitor vai acompanhando um quadro composto por várias personagens, colorido e rico em acção e descrição de um período da Idade Média a que não faltou emotividade, poder, vingança e traição. Conheça o trabalho de um autêntico mestre da palavra naquela que é considerada a sua obra de eleição.

Os livros que tenho mais dele, se não anda nenhum perdido são:

Gostava de ter mais, mas os livros deste escritor são todos um pouco caros.

Um mundo sem fim, mais uma dupla de livros, romance histórico, continuação dos pilares, onde ele vai buscar descendentes do primeiro está na lista para comprar.

 No site wook encontra-se um pack dos dois livros Os pilares da terra da editorial presença que se consegue comprar mais barato e de vez em quando aparecem em promoção, é quando aproveito para comprar.

Encontrem-me aqui no facebook

terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

Sonhos de abóbora moganga

As postagens aqui no blog andam sempre atrasadas, quando todo mundo trás coisas de natal eu trago o que calha, quando todo mundo faz coisas do dia dos namorados eu trago de natal e quando todo mundo trouxer coisas de pascoa eu hei-de trazer dos namorados :)

É só para ser diferente :) ou não :)

Estes sonhos são do natal e a receita é da Vaqueiro, já tenho dito por aqui que gosto muito deste site, dos seus livros e revistas, as coisas saem normalmente mesmo bem. A receita retirei do site.



segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

Costeletas recheadas com maçã e queijo ralado

De vez em quando para variar, já que nem sempre apetece o mesmo, costumo fazer costeletas recheadas. Estas fiz no forno.

Mando cortar as costeletas um pouco mais grossas no talho e depois ou mando abrir ao meio lá mesmo ou faço eu em casa, com uma faca afiada é muito fácil.

Já tenho aqui no blog recheadas com ananás e feitas na frigideira.
Depois do ananás a fruta que eu gosto mais com a carne é a maçã, seja em puré, seja assim.
Recheada com queijo e fiambre também fica bom e para o filho sai mesmo assim.