sábado, 29 de julho de 2017

Bolo de gomas

Este bolo de gomas fiz já há algum tempo para uma festa de aniversário do meu filho, resolvi postar agora, porque há sempre muitas pessoas a perguntar-me como se faz, este foi mais um que fiz, mas não cheguei a meter na altura, porque já tinha outro no blog e são muito parecidos.

A maneira como eu fiz é simples e podemos fazer do tamanho que quisermos e do formato que quisermos, faz sempre as delicias dos pequenos, que normalmente adoram gomas, é o que comem primeiro nas festas e assim em bolo desperta mais interesse ainda do que as gomas nos pacotes ou em taças.
Os que eu fiz foram sempre um sucesso, a garotada entrava em delírio :) e é sempre bom vê-los assim animados.


Eu monto o bolo desejado com esferovite forrada de papel de alumínio e depois é só cobrir com as gomas a gosto das cores e sabores preferidos, podem-se segurar com palitos e há a vender uns de plástico muito giros, mas nem precisa fixar com nada, porque eles pegam ao alumínio.


Esta semana encontrei no Pingo doce uns bolos feitos por eles também muito engraçados e em que o esquema é diferente, a base não tem nada de suporte, apenas marshmallow`s de pé encostados a formar o bolo e seguros com uma fita em volta, por cima as gomas diferentes dispostas a gosto e já está, mais simples ainda.

Comprei um para o meu filho levar para o almoço partilhado na semana que passou num campo de férias e ele pediu tanto que acabei por comprar, porque se comprasse as gomas para ser eu a fazer não ficaria muito mais barato, e este já vinha embalado em papel celofane para ir melhor acondicionado....


Uma maneira diferente e divertida de apresentar as gomas numa festa 

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Panquecas.... só que não

Vejo por vezes receitas por aí nos blogs que fico com a sensação de que as pessoas nem as testaram sequer, fotografaram uma coisa qualquer e toca a postar para encher, não sei se para terem muitas publicações e "clikes".....

Estas panquecas foi uma dessas, quando li a receita achei logo estranho liquido demais para tão pouco sólido.... mas vamos lá experimentar o blog tem 61000 e tal seguidores, devem ser mesmo boas....

e a receita ainda tem a recomendação de que é proibido copiar.....


Então com 2 ovos (Ah! e eu só meti um), uma banana e uma colher de sopa de farinha de amêndoa.
Tudo no robot de cozinha e vel.5 até ficar uma massa bem homogénea e sai uma massa completamente liquida e para panquecas, achei um pouco estranho até porque a massa estatelou-se na frigideira e antes que conseguisse virá-las já estavam meio queimadas,demasiado moles para conseguir virá-las.... depois da primeira, ainda lhe juntei uma colher de sopa de polvilho doce e ficou ligeiramente menos liquida, mas o resultado foram umas mini panquecas moles todas tortas e completamente húmidas e grudentas, nada fofas como as que apareciam na fotografia

mas ok.... 
são dietéticas, sem açúcar e sem gluten, e só para mim porque o papa panquecas minor cheirou e não quis, muito menos polvilhadas com canela, como mandava a receitinha, o quadrado de chocolate no meio não lhe meti, porque achei desperdício demais.

Deixo umas fotografias das que se conseguiram salvar com aparência passível de aparecer ao público.




terça-feira, 25 de julho de 2017

Onde comer em Cracóvia, pequenas sugestões

Eu sei que já passou algum tempo desde a minha viagem a Cracóvia, mas faltou fazer esta parte que também é importante e como se trata de comidinhas e tem a ver com a outra parte do blog deixei para o fim.

A cidade tem muitos restaurantes, explanadas lindas, uma tentação para os olhos para quem como nós gosta de experimentar a comida típica dos sítios por onde andamos, não somos adeptos de fast food nem cá em portugal, não vamos ser fora.




Provar a gastronomia local e pratos típicos, nesta cidade é fácil, porque os restaurantes na sua maioria pelo aspecto parecem caros, mas nem se paga nada de especial, comparando com Portugal, eu diria que se paga pela qualidade bem menos.

Os restaurantes em Cracóvia, são na maioria charmosos, com decorações típicas e de bom gosto.



Os pratos não são caros e a quantidade é razoável. As entradas são na maioria grátis, os empregados fazem questão de referir isso logo que trazem aquilo que não pedimos.



Nós quando fomos levamos na manga uma lista de restaurantes e bares recomendados por amigos, só que efectivamente fomos a poucos dos que levávamos na lista, por questões de logística, ou estávamos longe ou já não nos apetecia procurar mais e acabávamos por entrar mesmo no primeiro que encontrávamos porque chegámos á conclusão que em todos se comia bem.



Adorámos a comida, muito variada, original, muito bem apresentada, alguns pratos ao melhor nível da cozinha de autor que se vê por cá, para além disso saborosa e para mim que gosto de provar tudo, foi difícil a escolha, saladas variadas e pães recheados, seja com sopa ou carnes, muitas verduras e até sopa, muitos cogumelos selvagens, coisas que nunca tinha comido, bulgur, ruibarbo e adoro quando algum prato me surpreende pelo sabor e apresentação, como foi o caso da tarte tatin que pedi num restaurante e me veio quente com uma bola de gelado em cama de amendoa ralada e natas, simplesmente delicioso.



Deixo a lista dos que me recomendaram:

Restauracja Polakowski na Rua Wszystkich Swietych 10 - Barato serve doses grandes e comida típica polaca

Restauracja Hawelka na Rynek Glowny praça Central Excelente comida e preços igualmente bons.

Gospoda koko Rua Golebia 8 para comer bons Pierogis

Bar Mleczny "Pod Temida" Rua Grodzka 43 no centro, é um bar típico que ficou do comunismo.

Nowa prowincja na Rua Bracka 3-5 para tomar vinho quente e chocolate quente.

Awiw Prazakova 512 na praça no Bairro Judeu Kazimierz

Artcafé Rua Dajwor 30 Kazimierz

Alchemia na Rua Estery -bar na Rua Estery - Kazimierz

Para além destes deixo alguns que descobrimos nós e que gostámos muito.
Art&amp Garden Residence um hotel mesmo em frente ao nosso que tinha um restaurante muito bom na Rua Krowoderska 71 (1km do centro)

Chlpskie Jadlo Rua Sw.  Agnieszki 1 rua perto da praça Central, decoração típica e empregados muito simpáticos, servem um prato tipo rodizio de comidas típicas Polacas deixo o link do trypadvisor.


Para quem não quiser comer em restaurantes ou perder tempo com isso, a oferta de pastelarias é enorme, bolos e salgados, pizzas à fatia tudo enorme mas também de excelente qualidade, a oferta é de facto grande.




Quando nós estivemos havia um mercado de páscoa na praça central, com barraquinhas onde faziam de tudo, desde os famosos Pierogis ás famosas salsichas muito habituais na parte leste da Europa, grelhadas, com pão ou batatas fritas, uma boa alternativa a comida de prato.



segunda-feira, 24 de julho de 2017

Arroz de polvo

Quem gosta de arroz de polvo?

Eu adoro, sou mesmo fã do género, arroz com molho/caldo, de polvo é um dos meus favoritos.

Receita, a do costume, nada de extraordinário, apenas o arroz é diferente, fiz com o Baby rice  Bom Sucesso, se é bom para bebés também é bom para nós concerteza, um arroz produzido sem químicos tal como a natureza o dá, isento de bactérias, próprio para a alimentação dos bebés e como cá em casa cada vez mais me preocupo com a qualidade dos alimentos que comemos, acho este arroz uma excelente opção.


  • 1 polvo fresco (congelado)
  • 2 cebolas
    1 folha de louro
    2 dentes de alho
    Azeite
    Tomate maduro
    Arroz Baby rice da marca bom sucesso 
    Sal
    Salsa picada

Normalmente compro o polvo fresco e depois congelo, cada vez mais evito comprar este tipo de moluscos congelados, porque têm montes de aditivos e são demasiado salgados. Congelo porque alguma vez li que ficam mais tenros e fáceis de cozer.

Então primeiro que tudo cozer o polvo congelado com uma das cebolas inteiras e a folha de louro e pouco sal, para se poder aproveitar o caldo. 

Deixe cozer, tapado, em lume brando até a cebola estar macia, ou então cozer na panela de pressão, mais rápido, mas atenção aos tempos para o polvo não se desfazer todo.
Retire o polvo, coe o caldo da cozedura e reserve.

Aloure a restante cebola e os dentes de alho, picados, no azeite bem quente.
Entretanto, limpe o tomate de grainhas e corte-o em cubinhos junte ao refogado e deixe cozinhar durante 2 a 3 minutos (eu trituro com a varinha ou no robot de cozinha se fizer aí o refogado).

Regue com a quantidade de caldo pretendida do caldo reservado e assim que retomar fervura introduza o arroz e rectifique o sal. Para que o arroz fique com caldo a água é o triplo do arroz.


Tape e deixe cozer durante cerca de 12 minutos.
Corte o polvo em troços e junte ao arroz assim que este estiver quase cozido.


Polvilhe com com salsa picada ou coentros, eu gosto mais com coentros.
Sirva sem demora.